Uma viagem pela vila flutuante de Kampong Phluk

No terceiro dia de viagem pelo Camboja, já imersos em seus templos e ruínas, decidimos conhecer a vila flutuante de Kampong Phluk (ou Kompong Phluk) que fica a 16 km da cidade de Siem Reap, onde estávamos baseados. O vilarejo é formado por centenas de palafitas sobre o lago e rio chamado Tonlé Sap.

Saindo de Siem Reap no tuk-tuk do nosso já amigo Mice (leia mais sobre Siem Reap nest post), foi quase 1 hora de estrada e poeira. O trajeto de ida e volta nos custou USD 20, combinados previamente.

Crianças no caminho para Kampong Phluk.

Ao chegarmos ao “porto” é necessário desembolsar mais dinheiro antes de efetivamente iniciarmos nossa viagem através do lago. A taxa do barco custa USD 25 por pessoa mais USD 5 se você pretende entrar na área pantanosa com uma espécie de caiaque local. Optamos por fazer tudo e valeu a pena, apesar do valor. O passeio pelo vilarejo demora em torno de 2 horas, mais o tempo de ida e volta de tuk-tuk até lá.

O porto

Um barco então estará à sua espera. São barcos construídos em madeira de forma bem rústica, onde o pedal e timão movem cordas para dar a direção. Naveguei na volta e pude sentir como funcionam estes mecanismos.

Nosso barco em Kampong Phluk

A vida em Kampong Phluk é simples, muito simples e eu me arriscaria a dizer: difícil. São palafitas que ficam sobre o lago e toda a locomoção é feita através da água. O povo vive basicamente da pesca e do turismo. É um lugar que não tem ruas, não tem carros, não tem lojas, mas a vida segue como outros lugares pobres pelo Camboja.

As palafitas sobre o rio Tonlé Sap

Enquanto navegava pelos canais de Kampong Phluk, eu imaginava como deve ser difícil a vida lá: ter que pegar a canoa para tudo o que precisar, seja buscar alimento, levar as crianças para escola ou mesmo frequentar o templo. Conversando com nosso barqueiro, morador do vilarejo, este nos contou que tem dois filhos e o mais novo ainda não estava na escola porque ainda não sabia nadar. É uma premissa para viver em um local como este.

As mulheres à espera dos turistas

Chegamos a um restaurante flutuante que fica ao final do canal e é onde pegamos a canoa para entrar na área alagada. Várias mulheres esperam pelos turistas (ainda somos poucos por lá) para levá-los neste passeio. Lá dentro tem mais canoas onde vendem bebidas, petiscos e material escolar para ajudar as crianças do povoado. Tudo superfaturado! Fui avisado pelo barqueiro de não comprar nada lá. Logo entendi que se tratava de golpe pega-turista. Nada disto ofusca a beleza que é o local e nem mesmo as fotos fazem justiça a isto.

A área alagada tem um visual incrível

 

Visitar Kampong Phluk é uma experiência única e nos mostra o lado mais difícil do Camboja, o dia a dia difícil de um povoado que não tem infraestrutura e nos mostra que o ser humano se adapta a todas estas dificuldades.

Leia também o roteiro completo contando como foi nossos 03 dias inesquecíveis em Siem Reap.

************************************************************************************************************

Utilizando os links das empresas parceiras do Passaporte Rodado para fazer suas reservas, ganhamos uma pequena comissão. Você não pagará nenhuma taxa extra por isto e nos ajudará a monetizarmos nosso trabalho.

Reserva de hotel | Aluguel de Carros | Seguro de Viagem | Aluguel de Moto | Aluguel de Apartamento e Casa | Reserva de Hostel | Passagem de Trem pela Europa

Ainda tem dúvidas sobre o que fazer na cidade ou gostaria de compartilhar suas experiências por lá? Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *